fbpx
tipos de vizinhos

Como lidar com vizinhos provocadores (e outros tipos de vizinhos)

Quando moramos em apartamentos, é comum nos depararmos com vários tipos de vizinhos. Dos provocadores aos tranquilos, o importante é sabermos lidar com cada um deles para que a convivência seja sempre calma. Você tem um vizinho que incomoda? Saiba como lidar com o problema!

No momento de escolher casa ou apartamento, a localização do imóvel e os custos são pontos que ajudam na decisão sobre onde morar. No entanto, há outro fator importante que pode impactar a vida no novo lar e que, muitas vezes, passa despercebida na hora de assinar o contrato de compra ou locação: os tipos de vizinhos.

Mesmo que você não entre em contato direto com eles, é inevitável não perceber a presença das outras pessoas, especialmente se você mora em um apartamento ou compartilhe uma parede com o morador do lado. É sempre importante se lembrar de que a coexistência pacífica entre você e esses vizinhos faz toda a diferença na sua rotina e qualidade de vida.

Pensando nisso, criamos a lista a seguir com os perfis de vizinhos mais comuns, além de dicas sobre como lidar com eles. Não perca!

1. Provocadores

Esse é um vizinho que pode dar um pouco de dor de cabeça, não é? Muitas pessoas se perguntam como lidar com vizinhos provocadores, aqueles que sabem que incomodam e fazem questão de deixar isso claro incomodando ainda mais. É complicado, mas para tudo tem um jeito!

Com esse tipo de vizinho, temos duas dicas e isso vai depender do tipo de residência que você mora. Se for apartamento, a nossa primeira dica é não ter um confronto direto. Esse é também um dos papéis de um síndico! Converse com ele e exponha toda a situação. Como síndico, ele pode intermediar sem que você ou seu vizinho precisem desgastar a relação de vocês.

Se morar em casa, recomendamos paciência. Uma conversa amigável, onde você exponha com calma os seus pontos e o que pode ser feito para que, em comum acordo, vocês cheguem em uma conclusão que agrade os dois lados.

2. Barulhentos

Quem nunca lidou com um vizinho barulhento? Ele mantém a música ou som da TV nas alturas, conversa como se usasse um megafone, anda como um dançarino de sapateado, dá marteladas na parede ou liga eletrodomésticos ruidosos que tiram seu sono no meio da madrugada.

Antes de um confronto, pare e pense um pouco. Caso você more em um apartamento com paredes finas ou em uma casa próxima ao vizinho do lado, lembre-se de que você faz parte da comunidade e que alguns barulhos são inevitáveis. Choros, risos e gritaria são comuns em casas com bebês ou crianças pequenas, por exemplo.

Se os vizinhos têm animais no apartamento, prepare-se para latidos ou outros ruídos ocasionais. Nas situações nas quais o incômodo realmente prejudique a sua rotina, veja como tentar resolver o problema com uma conversa com esse vizinho. Não se esqueça de manter a cordialidade para não piorar a situação. Em vez de dizer “o volume da sua TV me incomoda todas as noites”, tente: “você sabia que o volume da sua TV é bem alto?”. Se não puder conversar pessoalmente, escreva uma carta abordando suas preocupações.

3. Espertinhos

Esse é o tipo de pessoa que sempre age de má-fé e quer levar vantagem sobre os outros vizinhos. Pode ser aquele morador que pega o seu jornal para ler ou até mesmo invada o seu Wi-Fi. 

Para impedir a ação desse vizinho, a melhor medida é coletar evidências que comprovem o crime. Com câmeras de segurança é até possível pegá-lo em flagrante. Se você souber quem é o responsável, marque uma conversa e apresente as evidências encontradas. Caso você more em um apartamento, também comunique o síndico sobre o problema.

Um jeito simples de identificar o roubo do seu Wi-Fi é conferir as luzes do roteador. Desligue todos os dispositivos conectados em casa e observe se as luzes ainda continuam piscando. Se o resultado for positivo, é provável que haja um espertinho usando sua conexão.

Também é possível detectar a presença de um usuário de sua rede em horários nos quais não há ninguém em casa, como os aplicativos Fing e Net Scan. O segundo passo é proteger sua rede de invasões, a começar pela senha. Lembre-se de fugir das combinações mais simples.

4. Festeiros

Esse perfil é conhecido por dar muitas festas mesmo em dias de semana, com convidados, muita bebida e som alto. Outro problema comum, consequência desse estilo de vida, é a presença de pessoas desconhecidas circulando próximo à sua casa ou apartamento, os carros parados próximo à garagem e a sujeira.

As dicas para conviver com esse tipo de vizinho são as mesmas para lidar com o barulhento. Procure-o para conversar e exponha o seu incômodo de modo claro e calmo. Você também pode tentar combinar um esquema para que vocês fiquem de acordo, sugerindo que ele comece a festa mais cedo e encerre até às 22 horas ou deixe as comemorações apenas para os fins de semana, por exemplo.

5. Fofoqueiros

Infelizmente, vivemos em uma sociedade na qual fofocas e boatos circulam nos meios online e offline. Esse cenário é um prato cheio para o vizinho fofoqueiro, aquele que fala sobre a vida de toda a vizinhança e sempre tem uma “novidade” na ponta da língua. O que parece uma atitude inofensiva pode levar à criação de uma situação prejudicial a outras pessoas, inclusive você e sua família.

processo-de-aluguel

Mesmo que você evite se relacionar com o fofoqueiro, é importante saber como lidar com essa situação. O primeiro passo é não alimentar a fofoca. Se esse vizinho parar você para contar uma novidade, não deixe que o papo se estenda, invente uma desculpe e afaste-se. Se houver alguma insistência, vale a pena dizer “desculpe, mas prefiro não saber sobre a vida dessa pessoa”.

Para evitar ser vítima dos fofoqueiros, não comente sobre sua vida com esses vizinhos. Às vezes, uma conversa informal e sem importância pode se tornar uma história para o fofoqueiro compartilhar.

6. Reclamões

O vizinho reclamão é aquele que se vê como um juiz da vizinhança e está constantemente reclamando da conduta dos outros moradores. O problema desse perfil é que as queixas nem sempre se restringem a problemas como festas ou barulhos fora de hora. A impressão é que o comportamento dos outros não está de acordo com as regras de convivência que ele mesmo estabeleceu.

Se ele vier reclamar de você sobre outro vizinho, mas você não concorda com a acusação, apenas ignore. Caso uma das reclamações seja feita diretamente a você, pergunte a data e o horário do episódio relatado, questionando também como ele se sentiu afetado. Ouça as alegações desse vizinho e veja se elas são válidas. Pode ser que o ruído que incomoda o reclamão venha de outro imóvel, por exemplo. Se a queixa for mesmo sobre você e ela fizer sentido, peça desculpa e proponha uma solução.

7. Gente boa

Existem pessoas que sabem transformar a vizinhança em um local acolhedor, que conseguem respeitar os ambientes comuns e a lei do silêncio. São aqueles que informam com antecedência a realização de uma obra e até convidam você para a festa do fim de semana.

Sem dúvida, é um dos melhores perfis de vizinhos e ajuda a confirmar a sensação de que, de fato, você encontrou o imóvel ideal para você e sua família. Mesmo que não procure estreitar a convivência, você sabe que pode contar com ele sempre que precisar de ajuda para receber uma encomenda ou cuidar das suas plantas enquanto você viaja.

8. Vizinho fantasma

Você só vê ele uma ou duas vezes na semana, ou até no mês inteiro. Ele fica dentro de casa o tempo todo ou os seus horários são só diferentes? Quando você pensava que o vizinho fantasma tinha se mudado e o apartamento se encontrava vazio, eis que encontra ele dentro do elevador.

Esse é o perfil de vizinho que, na maioria dos casos, não gera muitos problemas. Nenhum barulho até tarde da noite ou nenhuma confusão nos corredores do prédio. Alguma questão pode surgir em processos que exigem a participação coletiva dos moradores do prédio, como no caso de uma votação para síndico. Nesse caso, pode ser difícil encontrá-lo.

9. Casal briguento

Ainda existem os vizinhos que discutem infinitamente. Gritaria e palavrões interrompem o sossego da vizinhança, prejudicando principalmente quem precisa estudar ou trabalhar em casa. No momento de quarentena no país, ficar em casa é uma condição unânime, e os casais briguentos podem facilmente arranjar as clássicas discussões de prédio.

10. Vizinho místico

Cheirinho de incenso, último volume no som, enfeites na porta da frente: este é o vizinho místico. Cada morador com seu espaço, mas nem sempre dá para aceitar as músicas altas em qualquer horário do dia. Na maioria dos casos, um pedido para abaixar o volume é o suficiente para que tudo fique resolvido.

Você pode até ficar irritado por estar com a razão diante de uma música barulhenta às 7 da manhã no sábado, mas é sempre muito importante conversar com calma. Mantenha o equilíbrio, seja educado e explique a situação. Assim, é comum que as pessoas fiquem na defensiva e compreendam o que você está querendo dizer.

Em meio à pandemia, as relações com os vizinhos tendem a ser cada vez mais tensas. Afinal, a intensa convivência com as pessoas do outro lado da parede nem sempre garante paz e tranquilidade.

Porém, vale lembrar que, na maioria dos casos, a primeira solução é sempre o diálogo aberto. Se não resolver, medidas mais drásticas podem ser necessárias, como conversar com o síndico, o porteiro, o segurança e, em último caso, com a polícia.

Ao falar de vizinhos, é importante também que a gente tenha em mente que nem sempre será possível resolver alguns incômodos. Em apartamentos principalmente, às vezes a parede é mais fina e o imóvel bem pertinho um do outro, criando inevitavelmente situações fora do nosso controle. Lembre-se: você também pode ser o vizinho que incomoda e nem sabe! Em todas as 10 situações, é preciso ter equilíbrio para que vocês tenham uma boa e sensata convivência.

E na hora de escolher um condomínio para morar, não deixe de avaliar a qualidade da vizinhança.

Se você ainda não convive com esses moradores, certamente pode cruzar com um desses tipos de vizinhos pelo menos uma vez. Antes de calcular os custos de uma mudança, busque sempre manter o diálogo cordial. Caso não seja possível, apresentar uma queixa ao síndico ou aos órgãos de fiscalização da cidade podem ser um último recurso necessário.

Se você não sabe o seu tipo de vizinho porque ainda está procurando pelo seu apartamento, aqui vai uma lista dos bairros mais seguros de BH. Gostou do nosso conteúdo? Esperamos que sim! Siga as nossas redes sociais e fique por dentro de mais novidades. Estamos no FacebookInstagram e LinkedIn.

Este post foi escrito pela equipe da VPR Imóveis em junho de 2020 e atualizado em julho de 2021.

processo-de-aluguel

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

11 Comentários

  1. Vizinha fofoqueira, hipócrita e ainda se faz de vítima. Não tolero mesmo… Repugnante!

  2. Vizinhos folgado tá sempre usando a frente da sua casa como se fosse a dele para colocar coisas !

  3. Vizinho intrometido

  4. FALTOU O VIZINHO QUE PASSA O DIA NA PORTA PERGUNTANDO AONDE TI VAIS; SE VAI TRABALHAR OU PASSEAR.

  5. Avatar

    Faltou mencionar aquele vizinho que faz da casa de outro o seu “mercadinho particular”. Tudo bem vez por outra pegar emprestado uma xícara de açúcar, um pirex ou a escada, o problema é isso virar hábito ou até mesmo “esquecer” de devolver. Ninguém merece!

  6. Esqueceu daqueles que olha na cara dura a hora que sai e chega cerimonialmente

  7. Boa noite. Uma vizinha abordou-me dizendo que a minha casa deita um cheiro HORRÍVEL a detergentes… O que acham disto?

    1. Muitas vezes tenho até vontade de Pucha papo cm amizade, tenho vontade deseja um bom dia , boa tarde, boa noite, porém fico naquela será que vão me responder ou fecha a cara pra mim.
      Enfim não pertubo a vida de ninguém, vou ao meu trabalho cumprindo com todas as minhas obrigações. já um vizinho meu gosta de me provocar, não alimento o ódio fico na minha, deis que não me agrida ta blz tá legal, não devo satisfação pra ninguém, muito menos a vizinhos fofoqueiros, vivo a minha vida e não a dos outros e a vida segue.

  8. Tem que tratar a pessoa que pensa em algum item dessa lista meu amigo compra uma ilha particular ué isso aí que lê uma lista dessa ou tem algum desses problemas mencionados na lista como pra levar em conta o problema é o metidão a besta não os vizinhos mais isso é fácil de resolver comprar uma ilha só pra vc e não deixa ninguém mora na sua ilha a o criado com vó nerdão não tem dinheiro blz aguenta os vizinhos ué essa geração criada com bananões mesmo ridículo isso aí…

    1. Vizinho barulhento detected!!!

  9. Moro em um apartamento que o taco è de madeira ainda e o vizinho de cima do meu trouxe um cachorro gigante e ele corre pula o barulho è alto demsis e ainda dorme no mesmo quarto que o meu

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.